RELACIONAMENTO INTERPESSOAL NAS ORGANIZAÇÕES

Size: px
Start display at page:

Download "RELACIONAMENTO INTERPESSOAL NAS ORGANIZAÇÕES"

Transcription

1 ICPG Instituto Catarinense de Pós-Graduação 1 RELACIONAMENTO INTERPESSOAL NAS ORGANIZAÇÕES ANDREZA APARECIDA DE SOUZA PAULO RAMOS Curso de Especialização em Gestão de Empresas de Comércio e Serviços Resumo Este artigo foi desenvolvido a partir de uma pesquisa bibliográfica com o intuito de identificar os fatores favoráveis à manutenção de um bom nível de relação interpessoal, perpassando as organizações, clima organizacional e motivação. Observando que as organizações são compostas por pessoas, consideramos que, para um bom andamento do trabalho e uma boa produção, é necessário que as pessoas estejam bem colocadas na organização, com oportunidades de crescimento e, principalmente, com felicidade, sendo esta empírica e inerente a cada pessoa. Palavras-Chave: Relacionamento interpessoal, organizações, ser social. 1. INTRODUÇÃO A empresa constitui o ambiente dentro do qual as pessoas trabalham e vivem as maiores partes de suas vidas. Nesse contexto, as pessoas dão algo de si e esperam algo em troca, seja a curto ou longo prazo. A maneira como esse ambiente é moldado e estruturado influencia a qualidade de vida das pessoas. Mais do que isso: influencia o próprio comportamento e os objetivos pessoais de cada ser humano. E isso, conseqüentemente, afeta o próprio funcionamento da empresa. As empresas são unidades que visam atingir determinados objetivos específicos. A sua razão de ser e de existir é servir a esses objetivos. Um objetivo pode ser definido como uma situação desejada que a empresa almeja alcançar. É uma meta, um alvo, uma pretensão. Quando o objetivo é atingido, deixa de ser uma situação almejada para tornar-se uma situação real. Para isso, é preciso um clima organizacional favorável. Clima organizacional constitui o meio interno da organização, a atmosfera psicológica em cada organização. O clima organizacional é o ambiente humano dentro do qual as pessoas de uma organização fazem o trabalho. O clima pode se referir ao ambiente dentro de um departamento, de

2 uma fábrica ou de uma empresa inteira. O clima não pode ser tocado ou visualizado, mas pode ser percebido psicologicamente ou por meio das relações interpessoais e da motivação para o trabalho. O termo clima organizacional refere-se especificamente às propriedades motivacionais do ambiente interno de uma organização, ou seja, àqueles aspectos internos da organização que levam à provocação de diferentes espécies de motivação nos seus participantes. Constitui a qualidade ou propriedade do ambiente organizacional aquilo que é apercebido ou experimentado pelos participantes da empresa e que influencia o seu comportamento. Assim, o clima organizacional é favorável quando proporciona satisfação das necessidades pessoais dos participantes, produzindo elevação do moral interno. É desfavorável quando proporciona frustração daquelas necessidades. 2. O HOMEM: SER SOCIAL O homem é um ser naturalmente social que vive em grupos, os quais, por sua vez, constituem as organizações. Segundo Chiavenato (1989, p. 18), [...] é difícil separar as pessoas das organizações, e vice-versa [...].As organizações fazem-se presentes na sociedade e na singularidade de cada pessoa: estão na escola, no trabalho, na igreja e na vida social, tendo em vista que o homem depende direta ou indiretamente delas. A primeira justificativa para a existência das organizações é: para se alcançar metas na sociedade a organização necessariamente carece de um grupo de pessoas que a coordene. O ser humano é eminentemente social: ele não vive isolado, mas em contínua interação com seus semelhantes. Nas interações humanas, ambas as partes envolvem-se mutuamente, uma influenciando a atitude que a outra irá tomar, e vice-versa. Devido às suas limitações individuais, os seres humanos são obrigados a cooperarem uns com os outros, formando organizações para alcançar seus objetivos. A organização é um sistema de atividades conscientemente coordenadas de duas ou mais pessoas. A cooperação entre elas é essencial para a existência da organização (CHIAVENATO, 1993, p. 20). De qualquer forma, não podemos perder de vista que uma organização sem pessoas não teria sentido. Uma fábrica sem pessoas pára; um computador sem uma pessoa é inútil. Em sua essência, as organizações têm sua origem nas pessoas, o trabalho é processado por pessoas e o produto de seu trabalho destina-se às pessoas (LUCENA, 1990, p. 52). Neste sentido, Chiavenato (1989) fala que a integração entre indivíduos na organização é importante porque viabiliza um clima de cooperação, fazendo com que atinjam determinados objetivos juntos. 2

3 2.1 AS ORGANIZAÇÕES SÃO EMPRESAS A história das organizações é tão antiga quanto a história do homem. Gibson (1981) nos fala que, com o passar do tempo, as pessoas foram se reunindo para alcançar determinadas metas: primeiro, em tribos; depois, em famílias, passando a unidades políticas mais sofisticadas. Desde os mais remotos tempos, a civilização se organizou, embora esses esforços não tivessem nomes formais. Segundo Gibson (1981), qualquer que seja a meta (obtenção de lucro, educação, religião, saúde), as organizações caracterizam-se por um comportamento voltado para determinado objetivo ou meta. Neste sentido, a ação conjunta de indivíduos verifica-se para atingir estes objetivos de modo mais eficaz e eficiente. As pessoas trazem para dentro das organizações algumas características singulares, como tipo de personalidade e necessidades; enfim, um conjunto de expectativas, e cada uma delas é afetada distintamente pelos diferentes problemas. As organizações influenciam a sociedade e vice-versa, funcionando como um sistema de retroalimentação. Por envolver um conjunto de pessoal, basicamente, a organização utiliza como princípios o planejar, organizar, dirigir e controlar. Estes princípios tendem a facilitar o desenvolvimento organizacional segundo a racionalidade administrativa. Conforme Hall (1984), as organizações com centralização de poder carecem de maior autonomia nas tomadas de decisões. Com esta centralização de poder pode haver uma discrepância de critérios e valores pelo restrito grau de autonomia por parte de seus administradores locais. No entanto, há algumas vantagens para a organização com este tipo de administração no que concerne à uniformidade de diretrizes e normas e a um maior aproveitamento dos profissionais de alto escalão. Fatores ambientais colaboram para a qualidade de trabalho, pois quanto maior for a preocupação com o fator humano nas organizações, mais elevado será o resultado. Enfim, se houver investimento no desenvolvimento humano de todas as pessoas da empresa, as relações interpessoais saudáveis resultarão em um ambiente favorável onde todos possam deixar fluir suas potencialidades. Para Lucena (1990), a complexidade e as condições variáveis dos ambientes, além da tecnologia, estão balançando as bases tradicionais da organização do trabalho, pois é necessária nova visão ampliada e integrada da realidade desta e, inevitavelmente, uma reflexão das relações entre trabalho e produtividade. O mundo do trabalho se estrutura com horário, salário, décimo terceiro, 3

4 férias remuneradas, descanso semanal, etc., que foram conquistas trabalhistas usufruídas de um emprego formal. De um lado, o patrão, empregador que paga e manda; e de outro, o empregado que faz e obedece. Tudo isso entrou em crise quando ficou caro demais manter um funcionário dentro dos padrões preestabelecidos e pouco producentes, já que o salário é garantido e a produção nem sempre. Depende da vontade, do caráter, da motivação de uma pessoa que se sentia segura, amparada pelas leis. Surgiram diversas idéias de reestruturação das relações trabalhistas, como por exemplo, o franqueamento, as cooperativas, as terceirizações, havendo comprometimento, mas sem vínculo empregatício direto, sem encargos sociais que oneram tanto o produto. As relações de trabalho estão diferentes porque o mercado exige mais esperteza, mais velocidade, mais criatividade e, para atender à demanda, é preciso que as duas partes se unam e se empenhem. Não há mais espaço para que apenas uma pense e a outra execute. Os valores, aos poucos, mudam, e o empregado está sentindo o gosto de participar, de arriscar, de ganhar mais e de sobreviver a tantas mudanças. Para Chiavenato (1993), todo e qualquer indivíduo tem seu próprio referencial que age como filtro codificador, reciclando as informações. Assim, cada indivíduo utiliza um conjunto próprio de definições que permite interpretar seus ambientes externo e interno, servindo-se deles para organizar suas experiências de vida cotidiana. 4

5 2.2 RELAÇÕES NA EMPRESA: FRUTOS DA COMUNICAÇÃO A comunicação não é feita só por meio de palavras, mas também de gestos, expressões e tonalidade de voz que, nem sempre, coincidem com o que a mensagem pretende transmitir. Segundo Katz e Kahn (apud HALL, 1984, p. 137), a comunicação descendente conta com cinco elementos prioritários que compõem o processo, ora facilitando, ora dificultando: a instrução da tarefa, a fundamentação lógica de acordo com a filosofia de cada uma, a informação propriamente dita, o feedback em relação ao desempenho dos indivíduos e as tentativas de doutrinar os subordinados a se envolverem emocionalmente em seu trabalho. Pessoas do mesmo nível hierárquico tendem a compartilhar de características comuns, tornando a comunicação mais viável. Desenvolvem uma resposta coletiva para o mundo que as cerca. Quando a comunicação atravessa os níveis, é preciso que sejam traduzidas as mensagens. Por mais que as pessoas conheçam outros níveis, as tarefas, os conteúdos e as intenções variam de nível para nível. As relações são facilmente afetadas quando, por exemplo, um emissor é intimado, sendo que, imediatamente, a comunicação deixa de fluir.e perdendo-se o conteúdo, a intenção se compromete também. A diferença de status, os diferentes modelos perceptivos, a atração sexual [...] podem ingressar no quadro e levar distorções daquilo que está sendo enviado e recebido (HALL, 1984, p. 133). Até mesmo as experiências de vida fazem com que as pessoas vejam as mesmas situações por ângulos totalmente distintos, colaborando para minar a comunicação. As estruturas organizacionais, conforme Chiavenato (1989), tendem a evoluir para processos de utilização de informações devido à variedade da extensão e sofisticação tecnológica. De acordo com Katz (apud HALL, 1984, p. 132), as comunicações, troca de informações e transmissão de significados são a própria essência de um sistema social ou de uma organização.davis (apud CHIAVENATO, 1993, p. 80) define a comunicação como o processo da passar informação e compreensão de uma pessoa para outra. 2.3 TRABALHO EM EQUIPE Em decorrência de vários fatores, o mais forte deles, a globalização, que gera concorrência nos mercados interno e externo, as empresas sentem cada vez mais necessidade de unir as forças. Assim como os países se fortalecem em blocos, as pessoas têm de aprender a trabalhar em equipe. Ressaltamos a importância da matéria-prima humana, dos recursos humanos que as empresas detêm. Umas aproveitam o potencial de cada 5

6 funcionário, e outras preferem gastar com equipamentos, pois o retorno realmente é mais imediato, podendo, contudo, imediatamente também ser ultrapassado, enquanto que as pessoas são tesouros perenes. Quando se fala em motivação, não dá para deixar de pensar em participação, pois este é um fator importante para que as pessoas vistam a camisa da empresa. Assim como os países isolados têm suas limitações, as pessoas isoladas também. Portanto, participar já sugere incluir-se onde há outras pessoas. Trabalhar em equipe está sendo a preocupação de várias empresas que perceberam que há mais rapidez, qualidade e lucratividade quando há um time batalhando junto. Trabalhar em equipe pode ser comparado com um time de futebol, onde todos sabem as suas parte, mas participam do todo; não há perdedor ou ganhador; todos ganham ou todos perdem. Quando alguém acerta, todos vibram. Todos têm o mesmo objetivo e sabem exatamente para onde vão. Todos conhecem os valores e as limitações de cada um e tentam suprilas. Todos reconhecem nas diferenças individuais uma colaboração, um acréscimo, e percebem que não há razão para criticar ou sentir-se humilhado. Naturalmente que, em uma sociedade como a nossa, em que fomos educados para competir uns com os outros, para trabalharmos, estudarmos sem pedir ajuda ou sem auxiliar, fica difícil vencer a individualidade. Faz-se necessário um trabalho intenso de conscientização que demora um tempo para ser assimilado, pois passa pelo autoconhecimento, pela auto-aceitação da limitação do outro, pela humildade de admitir que um precisa do outro e, também, pelo desenvolvimento da competência de cada um. As diferenças, as várias habilidades é que enriquecem a equipe; as forças estão na soma das partes, que é o todo. Se as pessoas são bem trabalhadas para tal, logo constatarão por si mesmas que dividem as vitórias, mas também dividem as derrotas; que é mais divertido, mais criativo, pois cada um, dando tudo de si, chega mais próximo da perfeição. O homem vai ter que assumir o compromisso de aperfeiçoar as relações sociais. É uma questão de sobrevivência. Respeitar as diferenças, as multiculturas, cada vez mais próximas, e saber falar com clareza as línguas do mundo. 2.4 UM BOM AMBIENTE DE TRABALHO A qualidade de vida do indivíduo fora da empresa é um fator essencial para beneficiar o ambiente profissional, tendo em vista o reflexo desse componente e a expansão desse sentimento de bem-estar para o todo. Partindo-se desse pressuposto, podemos agregar inúmeros fatores externos e próprios do ambiente profissional que prejudicam o bom convívio. Entre eles, podemos destacar: falta de comando gerando inseguranças e incertezas com relação ao 6

7 papel e meta de cada um; falta de organização gerando retrabalho e improdutividade; ineficiência de uma boa comunicação ocasionando imensos ruídos; ausência do espírito de equipe que deve haver entre as pessoas para fazer com que a sinergia entre elas e as tarefas sejam realizadas com eficiência e eficácia; aspectos físicos ambientais, como: má iluminação, ruídos e falta de espaço. Em toda organização é essencial o comando, tanto em relação ao gerente geral quanto ao líder de equipe. Em relação ao gerente geral, este deve subdividir as tarefas para cada área, impedindo que os funcionários atuem em completa liberdade, mas incentivando o desenvolver de idéias práticas, para que as tarefas não se realizem ao acaso e originem produção pequena e de má qualidade. No que se refere ao líder, sendo este uma pessoa que tem o poder de união e de disseminar o clima de confiança entre a equipe, conseguirá melhores resultados com a execução das tarefas. O relacionamento profissional deve ser o mais trabalhado pela empresa, em especial a relação chefe-subordinado. Um regime ditatorial acaba com todas as iniciativas para se ter um bom ambiente de trabalho. A atuação em grupo com a gerência participativa deve existir em todas as empresas, uma vez que oferecem uma melhor resolução de problemas que aparecem no dia-adia. É relevante citar que, para um bom resultado do trabalho em equipe, deve haver um sentimento de confiança para, assim, criar um clima amistoso e um melhor diálogo. No trabalho em equipe, é muito difícil lidar com várias personalidades ao mesmo tempo, quando algumas insistem em complicar as coisas por falta de equilíbrio emocional, pela competição, pela insegurança ou pelo desânimo. Infelizmente, existem pessoas que fazem do trabalho um sofrimento e acham que isso deve ser para todos, fazendo com que o grupo perca harmonia e considere tudo realmente muito difícil. Outro fato importante a ressaltar é a globalização e as novas tecnologias que trouxeram uma nova forma de relacionamento entre as empresas e as pessoas. O profissional teve de se adaptar a essas mudanças, vivendo um diaa-dia de muita disputa, mercado de trabalho competitivo e pressões corporativas cada vez maiores. Esse ambiente competitivo gera o canibalismo dentro das equipes; cada indivíduo foca seus esforços numa tentativa de ascensão e promoção pessoal. Fofocas, individualismo e falhas na comunicação interna dificultam os relacionamentos, tornando a função do gerente fundamental, pois, cada vez mais, ele tem de exercer uma liderança e conduzir as pessoas para o objetivo comum: o sucesso da organização. Além de todos estes pontos, a empresa deve dar enfoque aos aspectos 7

8 físicos ambientais. A empresa não deve se localizar em áreas de difícil acesso, sem opções de transporte ou de estacionamento. As instalações não devem ser sujas, escuras ou apertadas, para que as pessoas tenham conforto ao trabalhar, evitando complicações físicas, como por exemplo, a LER (Lesão por Esforço Repetitivo), que também traz prejuízos financeiros para a empresa. A LER, agora conhecida como DORT (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho), é uma doença dos tempos modernos que acomete os funcionários de empresas que executam atividades repetitivas por um longo período de tempo. Essas infecções ocorrem isolada ou associadamente nos tendões, músculos, nervos e ligamentos. Um programa direcionado a melhorar a Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) pode levar a um distanciamento ou à diminuição da doença no ambiente de trabalho. Como exemplo, a ginástica executada no próprio local de trabalho é, atualmente, uma atividade bastante implantada nas empresas, que devem, também, ter melhores ferramentas à disposição (microcomputadores, impressoras, softwares, etc.) para que os profissionais possam trabalhar satisfeitos e atingir seus objetivos. Para que esse fator seja incorporado à empresa, essa deve ter consciência do seu papel fundamental como agente corporativo de mudanças, visando ao bem-estar e à saúde de seus colaboradores. Termos como Racionalização e Racionalidade fazem parte de muitos ambientes de trabalho, numa demonstração de preocupação com a qualidade que vem sendo vista com uma maior atenção ao longo dos tempos. 2.5 FATORES MOTIVADORES DO TRABALHO Teles (1981) diz que, a partir do conhecimento do conceito de satisfação e insatisfação, se pode generalizar a afirmativa de que aquilo que satisfaz motiva, e o que insatisfaz reduz a motivação, além de que a necessidade é que gera impulso nos seres vivos, diretamente ligado ao motivo. Há, ainda, as tendências inatas a cada pessoa, que a levam à ação: a tendência para o poder, realização, afiliação, prazer, segurança, curiosidade, agressão. De acordo com a intensidade com a qual se manifesta, transforma-se em força de ação e, conseqüentemente, em motivo. É importante a compreensão da diferença entre incentivo e motivo. Enquanto aquele não envolve o eu da pessoa, fazendo-a agir por pressões externas, como comissões, vantagens, evitando punições, etc., este envolve o eu, fazendo com que a pessoa aja envolvida por uma força interna, pelo seu próprio querer, pelo seu gosto individual. Os fatores motivacionais podem ser agrupados em seis itens: 8

9 a) salários em espiral - a pesquisa de Herzberg comprovou que um alto salário não gera motivação, mas, para alguns empregados, segundo Teles (1981), este é o único motivador; b) vantagens adicionais - melhorias no ambiente físico do trabalho, seguro de vida, colônia de férias e vale-alimentação acabam se tornando, sob o ponto de vista do empregado, direitos conquistados, e não recompensas, sendo, conseqüentemente, fatores higiênicos, e não-motivadores, segundo as pesquisas de Herzberg; c) preparo em relações humanas - Eltons Mayo desenvolveu, na década de 20, pesquisas sobre como agir com as pessoas para motivá-las, sucedendose diversas outras que compuseram a Escola de Relações Humanas, buscando novas formas de motivar, mas também considerada um fator higiênico por Herzberg; d) desenvolvimento da sensibilidade - busca a autenticidade nas relações interpessoais, mas não resolve o problema de motivação na área administrativa; e) boas comunicações - envolvem cursos, livros e técnicas de liderança em torno do assunto, buscando ser um canal para maior satisfação; f) orientação individual do empregado - ao perceber a ocorrência de problemas pessoais que interferiam na produção, buscar a orientação individual, pois, quando se conversa com alguém, a sensação de peso nos ombros era aliviada. Ao ocorrer um problema organizacional ou uma falha administrativa, as práticas de relações humanas não resolvem o problema. Freqüentemente, as dinâmicas de grupo desenvolvidas por psicólogos auxiliam a minimizar o problema, mas não motivam. Herzberg comprovou que estas práticas acima relatadas são úteis, porém, não são motivadoras na essência. Higienizam o ambiente, favorecendo um clima mais tranqüilo e saudável, mas não necessariamente mais motivador. Bergamini e Coda (1990, p. 80) sugerem que, para a melhoria dos níveis de satisfação no trabalho, os Executivos devem ser submetidos a treinamentos que visem à melhoria dos níveis de satisfação no trabalho. Assim, é preciso: a) desenvolver esforços contínuos para estabelecer programas de treinamento e desenvolvimento dos Executivos, a fim de mantê-los atualizados em suas áreas de atuação ou de especialização; b) utilizar prioritariamente o princípio do autodesenvolvimento na definição dos programas a serem implantados, possibilitando aos mesmos sua própria escolha ou sugestão dos cursos ou atividades de treinamento a realizar; 9

10 c) associar os programas de treinamento ao progresso individual na organização, utilizando-os até mesmo como critério para ascensão na carreira; d) encarar o treinamento e o desenvolvimento de Executivos como parte do próprio desenvolvimento organizacional; e) basear a definição dos programas em levantamentos junto aos Executivos e áreas funcionais sobre as reais necessidades e objetivos a serem atingidos com a implantação dos programas; f) possibilitar, por meio de programas específicos, o desenvolvimento de habilidades e atitudes compatíveis a posições de liderança, permitindo aos Executivos uma atuação dentro de padrões de liderança considerados eficazes. Herzberg desenvolveu uma pesquisa sobre motivação em 1961, na empresa Texas Instrumentos, a partir de depoimentos colhidos de funcionários que deveriam indicar as situações de maiores e menores satisfações. A partir das respostas coletadas, o pesquisador interpretou-as e tratou-as estatisticamente - dos cientistas e pesquisadores até os operários. Quando a chefia não é adequada, há quase 20% de insatisfação, mas, quando é boa, a satisfação não chega a 5%. Para concluir, podemos lembrar que, numa época onde cada vez se exige mais qualificação das pessoas para produzir (rotinas burocráticas), muitas vezes é difícil descobrir tarefas e desafios, delegação e responsabilidade, trabalho que ajude a crescer como pessoa. É difícil, mas, se pensarmos, com criatividade e imaginação, podemos encontrar, certamente, o modo adequado de fazê-lo (TELES, 1981, p. 42). Ao analisar a natureza humana, identificam-se duas naturezas: a biológica e a psíquica, cujas necessidades, conforme Teles (1981), são distintas e pertencentes a planos diferentes e mais elevados. Os tradicionais incentivos oferecidos por uma empresa aos seus funcionários são de natureza biológica: salário, férias, forma de tratamento, etc. No entanto, em relação à natureza psíquica, as necessidades são outras: realização, crescimento pessoal, busca de novos conhecimentos reforçadores de auto-estima e desenvolvimento de um trabalho bem feito, que agrade. Motivação, portanto, é a mobilização da área psíquica da pessoa como se implantasse um motor de ação. Dentro de uma empresa, quando a pessoa é solicitada e recebe responsabilidades e tarefas que a desafiem, sente-se motivada. Ao sentir-se digno de confiança, o funcionário passa a ver e a sentir a tarefa de modo diferente, sentindo-se envolvido pelo trabalho. 3. CONSIDERAÇÕES FINAIS 10

11 Os fatores sociais são importantes para a ideal harmonização do indivíduo com seu ambiente profissional, dessa forma, ampliando condições para a evolução da sua criatividade. A figura do chefe, às vezes, faz surgir restrições e bloqueios, impedindo que o indivíduo consiga trabalhar sua criatividade. Mas, com a adaptação de novos meios de trabalho (dinâmicas de grupo) e a descentralização de poderes (gestão participativa), é possível conseguir melhores resultados. Assim, dinâmicas em grupo fazem surgir os modelos de gestão participativa. A tarefa do administrador assume, então, o caráter de atuar nessas realidades, influenciando a execução dos objetivos das organizações e valorizando, desta forma, o incremento ao potencial humano. Estudos apontam que as condições de trabalho constituem um ponto fundamental para o progresso do indivíduo em seu meio socioprofissional e, conseqüentemente, para obtenção dos bons resultados do sistema organizacional. A organização é um sistema integrado de subsistemas interdependentes. A dinâmica das relações interpessoais processa-se a partir do desempenho de papéis profissionais que mantêm relações com o sistema sociocultural do qual a organização faz parte. Normas, valores e padrões sociais influenciaram o ambiente organizacional, delimitando o que se conceitua cultura organizacional que, por sua vez, absorve as características cultivadas pelos seus membros. Cabe ao executivo criar condições para a adaptação de mudanças no eixo organizacional, onde o potencial humano é estimulado juntamente com a qualidade associada à produtividade. Uma visão que valorize o todo e as partes merece destaque no momento atual, tornando a organização um espaço no qual convivem, naturalmente, valores e tendências complementares e contraditórias. Valores adquiridos pelo trabalhador ao longo do tempo, já preestabelecidos e influenciados pelo ambiente de trabalho devem ser respeitados. É necessária uma total integração do ambiente de trabalho para uma maior flexibilidade entre chefia/subordinados. É importante, aqui, destacar que a produtividade do indivíduo está diretamente ligada ao clima organizacional. Dentro de tantas alternativas em busca da melhor harmonização do homem com seu trabalho, é preciso, no entanto, visualizar o melhor processo para chegar o mais perto da perfeição em harmonia e bom humor. Assim, o homem verdadeiro surgirá pleno de suas potencialidades, podendo, dessa forma, ser autor de suas ações. 4. REFERÊNCIAS 11

12 BERGAMINI, Cecília W.; CODA, Roberto. Psicodinâmica da vida organizacional: motivação e liderança. São Paulo: Livraria Pioneira, CHIAVENATO, Idalberto. Introdução a teoria geral da administração. São Paulo: Makron Books; McGraw-HiIl, Recursos Humanos na empresa. São Paulo: Atlas, GIBSON, James L. Organizações: comportamento. estrutura e processo.são Paulo :Atlas, HALL, Richard H. Organização: estrutura e processo. Rio de Janeiro: Prentice-Hall, LUCENA, Maria Diva S. Pensamento de recursos humanos. São Paulo: Atlas, TELES, Antônio X. Psicologia organizacional: a psicologia na empresa e na vida em sociedade. São Paulo: Ática,

CRM: customer relationship management: o revolucionário marketing de relacionamento com o cliente P

CRM: customer relationship management: o revolucionário marketing de relacionamento com o cliente P CRM: customer relationship management: o revolucionário marketing de relacionamento com o cliente Download: CRM: customer relationship management: o revolucionário marketing de relacionamento com o cliente

More information

THINK SUCCESS MAKE IT HAPPEN ANNA NOT MISSING HER ENGLISH CLASS. myclass AN ENGLISH COURSE THAT FITS YOUR LIFE

THINK SUCCESS MAKE IT HAPPEN ANNA NOT MISSING HER ENGLISH CLASS. myclass AN ENGLISH COURSE THAT FITS YOUR LIFE THINK SUCCESS MAKE IT HAPPEN ANNA NOT MISSING HER ENGLISH CLASS myclass AN ENGLISH COURSE THAT FITS YOUR LIFE Porquê myclass Why myclass? A importância do Inglês é fundamental tanto na construção da sua

More information

EARNINGS 1Q15 Conference Call May 8, 2015

EARNINGS 1Q15 Conference Call May 8, 2015 EARNINGS 1Q15 Conference Call May 8, 2015 SAFE-HARBOR STATEMENT We make forward-looking statements that are subject to risks and uncertainties. These statements are based on the beliefs and assumptions

More information

Bioinformática BLAST. Blast information guide. Buscas de sequências semelhantes. Search for Homologies BLAST

Bioinformática BLAST. Blast information guide. Buscas de sequências semelhantes. Search for Homologies BLAST BLAST Bioinformática Search for Homologies BLAST BLAST - Basic Local Alignment Search Tool http://blastncbinlmnihgov/blastcgi 1 2 Blast information guide Buscas de sequências semelhantes http://blastncbinlmnihgov/blastcgi?cmd=web&page_type=blastdocs

More information

Inovando sistemas com arquiteturas elásticas

Inovando sistemas com arquiteturas elásticas Inovando sistemas com arquiteturas elásticas Renato Bognar Principal System Engineer 1 Agenda Quais são os desafios de construir ua aplicação? Quais os pontos de atenção? Vai construir Apps móveis? Desfazendo

More information

Seu servidor deverá estar com a versão 3.24 ou superior do Mikrotik RouterOS e no mínimo 4 (quatro) placas de rede.

Seu servidor deverá estar com a versão 3.24 ou superior do Mikrotik RouterOS e no mínimo 4 (quatro) placas de rede. Provedor de Internet e Serviços - (41) 3673-5879 Balance PCC para 3 links adsl com modem em bridge (2 links de 8mb, 1 link de 2mb). Seu servidor deverá estar com a versão 3.24 ou superior do Mikrotik RouterOS

More information

Considering Human Factors in Workflow Development

Considering Human Factors in Workflow Development Considering Human Factors in Workflow Development Lucinéia Heloisa Thom 1,2, Cirano Iochpe 1,2, Ida Gus 2 1 Instituto de Informática Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Caixa Postal 15.064

More information

Towards a Reference Model for e-learning Governance. Lúcia Blondet Baruque email: lbaruque@inf.puc-rio.br

Towards a Reference Model for e-learning Governance. Lúcia Blondet Baruque email: lbaruque@inf.puc-rio.br Towards a Reference Model for e-learning Governance Lúcia Blondet Baruque email: lbaruque@inf.puc-rio.br Rubens Nascimento Melo email: rubens@inf.puc-rio.br PUC-RioInf.MCC20/04 June, 2004 Abstract: It

More information

ArcHC_3D research case studies (FCT:PTDC/AUR/66476/2006) Casos de estudo do projecto ArcHC_3D (FCT:PTDC/AUR/66476/2006)

ArcHC_3D research case studies (FCT:PTDC/AUR/66476/2006) Casos de estudo do projecto ArcHC_3D (FCT:PTDC/AUR/66476/2006) ArcHC_3D research case studies (FCT:PTDC/AUR/66476/2006) Casos de estudo do projecto ArcHC_3D (FCT:PTDC/AUR/66476/2006) 1 Casa de Valflores - Loures 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 Capela de S. Frutuoso

More information

Learn-Portuguese-Now.com presents... 100 PHRASES. What Did You Say? by Charlles Nunes

Learn-Portuguese-Now.com presents... 100 PHRASES. What Did You Say? by Charlles Nunes Learn-Portuguese-Now.com presents... English-Portuguese Flash Cards 100 PHRASES What Did You Say? by Charlles Nunes English-Portuguese Flash Cards 100 Phrases Congratulations! By downloading this volume

More information

Expert Reader 1000 Chapter 5. by Elen Fernandes

Expert Reader 1000 Chapter 5. by Elen Fernandes Expert Reader 1000 Chapter 5 by Elen Fernandes 5- A Dog Barbara wants a dog. She lives alone, so she thinks a dog can be a very nice friend. She decides to go to a pet shop. Barbara sees the animals at

More information

Empresas líderes usam TI como direcionador de inovação e mudança

Empresas líderes usam TI como direcionador de inovação e mudança Convivendo com a Complexidade Simplificando a T.I. Cyro Diehl 1 71% das Empresas Dizem que inovação é o fator #1 de competitividade Empresas líderes usam TI como direcionador de inovação e mudança Contudo,

More information

Boletim Técnico. Esta implementação consiste em atender a legislação do intercâmbio eletrônico na versão 4.0 adotado pela Unimed do Brasil.

Boletim Técnico. Esta implementação consiste em atender a legislação do intercâmbio eletrônico na versão 4.0 adotado pela Unimed do Brasil. Produto : Totvs + Foundation Saúde + 11.5.3 Chamado : TFOQEI Data da criação : 27/08/12 Data da revisão : 10/09/12 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Esta implementação consiste em atender a legislação

More information

WORDS OF CONNECTION 1

WORDS OF CONNECTION 1 WORDS OF CONNECTION 1 Well-connected text Unconnected text 2 Introduction Em primeiro lugar,... / Antes de tudo... / Para começar,... / First of all,... / In the first place,... / To begin with,... Em

More information

Worldwide, 3.3 million deaths in 2012 were due to harmful use of alcohol

Worldwide, 3.3 million deaths in 2012 were due to harmful use of alcohol WHO calls on governments to do more to prevent alcohol-related deaths and diseases Worldwide, 3.3 million deaths in 2012 were due to harmful use of alcohol 12 MAY 2014 GENEVA Worldwide, 3.3 million deaths

More information

QUESTIONÁRIOS DE AVALIAÇÃO: QUE INFORMAÇÕES ELES REALMENTE NOS FORNECEM?

QUESTIONÁRIOS DE AVALIAÇÃO: QUE INFORMAÇÕES ELES REALMENTE NOS FORNECEM? QUESTIONÁRIOS DE AVALIAÇÃO: QUE INFORMAÇÕES ELES REALMENTE NOS FORNECEM? Grizendi, J. C. M grizendi@acessa.com Universidade Estácio de Sá Av. Presidente João Goulart, 600 - Cruzeiro do Sul Juiz de Fora

More information

Inglês. Questão 1 ETAPA. Resposta

Inglês. Questão 1 ETAPA. Resposta Inglês LEIA O TEXTO A SEGUIR E RESPONDA ÀS QUESTÕES 1, 2 e 3. Babies can spot languages on facial clues alone (Adapted from NewScientist.com, May 2007) 1 Young babies can discriminate between different

More information

Is it really transparent???

Is it really transparent??? Slide # Is it really transparent??? OBJECTIVE To discuss the need for transparency of safety information as a means to further improve safety of air transport, identifying associated efforts by ICAO. OVERVIEW

More information

Competitive intelligence: functional practices, goals and infrastructure of companies in Brazil

Competitive intelligence: functional practices, goals and infrastructure of companies in Brazil Competitive intelligence: functional practices, goals and infrastructure of companies in Brazil Inteligência competitiva: práticas funcionais, objetivos e infraestrutura em empresas no Brasil Frederico

More information

Who will win this game?

Who will win this game? Image by Laboratório de Cartografias Insurgentes Rio de Janeiro 2016 Olympics exploring tensions between global and local demands or Who will win this game? by Isabela Ledo Presentation Content. Introduction

More information

EU project to bridge digital divide in Latin America

EU project to bridge digital divide in Latin America Publication: Cordis Date: 05 06 07 EU project to bridge digital divide in Latin America As information and communication technologies bring many benefits to societies, an EU funded project is aiming to

More information

INGLÊS. Aula 13 DIRECT AND INDIRECT SPEECH

INGLÊS. Aula 13 DIRECT AND INDIRECT SPEECH INGLÊS Aula 13 DIRECT AND INDIRECT SPEECH Direct(Quoted) And Indirect(Reported) Speech Você pode responder esta pergunta: "What did he/she say?" de duas maneiras: - Repetindo as palavras ditas (direct

More information

QUESTÕES QUE COBRAM O CONHECIMENTO DOS CONECTIVOS:

QUESTÕES QUE COBRAM O CONHECIMENTO DOS CONECTIVOS: QUESTÕES QUE COBRAM O CONHECIMENTO DOS CONECTIVOS: 1 UFPR 77 - Which alternative can replace thus (line 5) in the text without changing the meaning? -) nevertheless -) though -) consequently -) despite

More information

Grandparents 2: Well grandma, there is. an easier way to do it. http://coerll.utexas.edu/brazilpod/cob/lesson.php?p=16

Grandparents 2: Well grandma, there is. an easier way to do it. http://coerll.utexas.edu/brazilpod/cob/lesson.php?p=16 Grandparents 2: Well grandma, there is an easier way to do it http://coerll.utexas.edu/brazilpod/cob/lesson.php?p=16 Conversa Brasileira Grandparents 2: Well grandma, there is Ruth s recipe has to be in

More information

ISO14001 Certification Motivations and Effects

ISO14001 Certification Motivations and Effects 1 ISO14001 Certification Motivations and Effects Iuri Gavronski UNISINOS Brazil (iuri@proxima.adm.br) Ely Laureano Paiva, Dr. UNISINOS Brazil (elpaiva@mercado.unisinos.br) Geraldo Ferrer, PhD. UNC/KFBS

More information

Certification Protocol For Certifica Minas Café - UTZ Certified

Certification Protocol For Certifica Minas Café - UTZ Certified Certification Protocol For Certifica Minas Café - UTZ Certified Certification Protocol Version 1.1, February 2014 www.utzcertified.org Copies of this document are available for free in electronic format

More information

IMPROVING ASTRONOMY EDUCATION IN THE UNITED STATES BY INVESTIGATING OTHER CULTURES

IMPROVING ASTRONOMY EDUCATION IN THE UNITED STATES BY INVESTIGATING OTHER CULTURES III Simpósio Nacional de Educação em Astronomia III SNEA 2014 Curitiba, PR 1 IMPROVING ASTRONOMY EDUCATION IN THE UNITED STATES BY INVESTIGATING OTHER CULTURES MELHORANDO A EDUCAÇÃO EM ASTRONOMIA NOS ESTADOS

More information

An evaluation of the Brazilian business incubators innovation

An evaluation of the Brazilian business incubators innovation An evaluation of the Brazilian business incubators innovation UMA MENSURAÇÃO DA INOVAÇÃO NAS INCUBADORAS DE EMPRESAS BRASILEIRAS Jefferson de Souza Pinto Diego de Carvalho Moretti Rosley Anholon Faculdades

More information

QUALITY KNOWLEDGE INTEGRATION: A BRAZILIAN COMPARISON ANALYSIS

QUALITY KNOWLEDGE INTEGRATION: A BRAZILIAN COMPARISON ANALYSIS QUALITY KNOWLEDGE INTEGRATION: A BRAZILIAN COMPARISON ANALYSIS Úrsula Maruyama maruyama.academic@hotmail.com CEFET/RJ, Departamento de Ensino e Administração (DEPEA) Av. Maracanã 229, Maracanã CEP 20.271-110

More information

Vestibular 2008 UNIFEI Prova 3 Língua Inglesa - 20/01/2008

Vestibular 2008 UNIFEI Prova 3 Língua Inglesa - 20/01/2008 Note: Questions in English, answers in English Questions in Portuguese, answers in Portuguese As respostas devem estar gramaticalmente corretas e coerentes com os textos. Com exceção das questões que abordam

More information

MANAGEMENT AND LEADERSHIP: ANALYSIS OF NURSE MANAGERS KNOWLEDGE 1

MANAGEMENT AND LEADERSHIP: ANALYSIS OF NURSE MANAGERS KNOWLEDGE 1 Artigo Original 469 MANAGEMENT AND LEADERSHIP: ANALYSIS OF NURSE MANAGERS KNOWLEDGE 1 Maria Regina Lourenço 2 Gilberto Tadeu Shinyashiki 3 Maria Auxiliadora Trevizan 4 Management and leadership: analysis

More information

HEALTH EDUCATION: THE ROLE AND FUNCTIONS OF THE SPECIALIST AND THE GENERALIST

HEALTH EDUCATION: THE ROLE AND FUNCTIONS OF THE SPECIALIST AND THE GENERALIST HEALTH EDUCATION: THE ROLE AND FUNCTIONS OF THE SPECIALIST AND THE GENERALIST Helen P. Cleary* CLEARY, H. P. Health education: the role and functions of the specialist and the generalist. Rev. Saúde públ.,

More information

Prova Escrita de Inglês

Prova Escrita de Inglês EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Inglês 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Continuação bienal Prova 550/2.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120

More information

Technological Transition and the New Skills Required by the Agribusiness Sector

Technological Transition and the New Skills Required by the Agribusiness Sector International Food and Agribusiness Management Review Volume 15 Special Issue A Technological Transition and the New Skills Required by the Agribusiness Sector Global Networks, Global Perspectives and

More information

INTEGRATING STRATEGIC AND SUSTAINABLE DESIGN APPROACH FOR INNOVATION PROCESS: A CEMENT CASE STUDY

INTEGRATING STRATEGIC AND SUSTAINABLE DESIGN APPROACH FOR INNOVATION PROCESS: A CEMENT CASE STUDY 68 CRISTIANO ALVES Dr.; Universidade Federal do Rio Grande do Norte cralves@dcdesign.com.br SUSIE MACEDO Ma.; SENAI/ FIERN GILENO NEGREIROS Me.; SENAI/FIERN gilenonegreiros@rn.senai.br KILDER RIBEIRO Dr.;

More information

TABLE OF CONTENTS WHAT TYPE OF SITES CAN OR CANNOT BE CERTIFIED?

TABLE OF CONTENTS WHAT TYPE OF SITES CAN OR CANNOT BE CERTIFIED? TABLE OF CONTENTS 1 2 3 4 5 6 7 8 9 INTRODUCTION WHAT TYPE OF SITES CAN OR CANNOT BE CERTIFIED? WHAT PARTS OF THE PLANT CAN BE EXCLUDED AND WHAT IS THE IMPACT ON THE AUDIT DURATION? THE AUDIT PREPARATION

More information

Developing Process Mining Tools

Developing Process Mining Tools Developing Process Mining Tools An Implementation of Sequence Clustering for ProM Gabriel Martins Veiga Dissertation for the degree of Master of Science in Information Systems and Computer Engineering

More information

METHODOLOGY FOR BUILDING AND MAINTAINING ENTERPRISE ARCHITECTURES

METHODOLOGY FOR BUILDING AND MAINTAINING ENTERPRISE ARCHITECTURES UNIVERSITY OF THE ALGARVE FACULTY OF SCIENCE AND TECHNOLOGY METHODOLOGY FOR BUILDING AND MAINTAINING ENTERPRISE ARCHITECTURES IN SMALL AND MEDIUM ENTERPRISES Ruben David de Sousa Gomes (Licenciado Student

More information

Communication and access to information in assessing the quality of multiprofessional care of patients

Communication and access to information in assessing the quality of multiprofessional care of patients Original Article Communication and access to information in assessing the quality of multiprofessional care of patients Comunicação e acesso a informações na avaliação da qualidade de assistência multiprofissional

More information

2015 Technical Events STG Lab Services & Training Latin America

2015 Technical Events STG Lab Services & Training Latin America March,2015 2015 Technical Events STG Lab Services & Training Latin America 2015 IBM Corporation Around the World Over 250 Business Partners who attended 2014 IBM Systems and Technology Group Technical

More information

ISTMA-AMERICAS BUSINESS CONDITIONS REPORT. For the 6-Month Period Ending December 31, 2012

ISTMA-AMERICAS BUSINESS CONDITIONS REPORT. For the 6-Month Period Ending December 31, 2012 ISTMA-AMERICAS BUSINESS CONDITIONS REPORT For the 6-Month Period Ending December 31, 2012 Data Provided by the Members of: CANADA USA BRAZIL Canadian Tooling National Tooling Associação Brasileira da &

More information

Impact Learning Trek South Africa

Impact Learning Trek South Africa Impact Learning Trek South Africa IMMERSION PROGRAM IN SOCIAL INNOVATION 10-24 of July, 2015 Overview of Emzingo Overview of Emzingo Meet Emzingo Our vision! A world where business leaders and organizations

More information

PROVA DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA INGLESA PARA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO

PROVA DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA INGLESA PARA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Programa de Pós-Graduação em Lingüística Aplicada PROVA DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA INGLESA PARA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO Instruções gerais: 1) É permitido somente

More information

Programa Agua das Florestas Rainforest Water Program

Programa Agua das Florestas Rainforest Water Program Programa Agua das Florestas SOS Mata Atlântica - SOS Rainforest Foundation Quem somos? Organızaçao privada, sem fıns lucratıvos, poliıtıcos e relıgiosos, fundada em 1986. Who are we? SOS Rainforest Foundation

More information

Nursing in Portugal. Introduction. National Nurse Career Structure. Registration Title Field of Activity. Education

Nursing in Portugal. Introduction. National Nurse Career Structure. Registration Title Field of Activity. Education Nursing in Portugal Introduction National Nurse Career Structure Types of nurse in Portugal Regulation Registration Title Field of Activity Entry to Nurse Education Education Type of Specialist nurse (specialised

More information

Attitudes about Family Medicine among brazilian medical students

Attitudes about Family Medicine among brazilian medical students artigo original / research report / artículo Attitudes about Family Medicine among brazilian medical students Actitudes sobre Medicina de Familia entre estudiantes médicos brasileños Atitudes sobre Medicina

More information

ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA PLANO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO ANO: 2014/2015

ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA PLANO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO ANO: 2014/2015 ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA PLANO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO ANO: 2014/2015 ANO 2º ANO PROFESSOR (a) ELIANA MARA SILVA DE OLIVEIRA ALUNO(A) DISCIPLINA LÍNGUA INGLESA - PRESENT CONTINUOUS

More information

A Região Administrativa Especial de Macau situa-se no 6.º lugar da Economia mais livre na Região da Ásia Pacifico

A Região Administrativa Especial de Macau situa-se no 6.º lugar da Economia mais livre na Região da Ásia Pacifico A Região Administrativa Especial de Macau situa-se no 6.º lugar da Economia mais livre na Região da Ásia Pacifico A entidade Heritage Foundation publicou hoje o relatório relativo ao Index of Economic

More information

Prova Escrita de Inglês

Prova Escrita de Inglês EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de Inglês 11.º Ano de Escolaridade Continuação bienal Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 550/1.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120

More information

Teaching of Bioethics in Dental Graduate Programs in Brazil Ensino de bioética em programas de pós-graduação em Odontologia no Brasil

Teaching of Bioethics in Dental Graduate Programs in Brazil Ensino de bioética em programas de pós-graduação em Odontologia no Brasil Cariology Braz Oral Res 2006;20(4):285-9 Bioethics Teaching of Bioethics in Dental Graduate Programs in Brazil Ensino de bioética em programas de pós-graduação em Odontologia no Brasil Carolina Patrícia

More information

Introdução aos Sistemas Distribuídos

Introdução aos Sistemas Distribuídos O que é um Sistema Distribuído? Introdução aos Sistemas Distribuídos Um sistema distribuído consiste num conjunto de máquinas que trabalham de forma coordenada e conjunta para resolver um determinado problema.

More information

Marketing and Promotion in the Hotel Industry: A case study in Family Hotel and Hotel Group 92

Marketing and Promotion in the Hotel Industry: A case study in Family Hotel and Hotel Group 92 Marketing and Promotion in the Hotel Industry: A case study in Family Hotel and Hotel Group 92 Luís Pereira School of Tourism and Maritime Technology, Polytechnic Institute of Leiria, Portugal Paulo Almeida

More information

O mercado negro dos crimes cibernéticos no Brasil. Ronaldo Lima Aline Bueno

O mercado negro dos crimes cibernéticos no Brasil. Ronaldo Lima Aline Bueno O mercado negro dos crimes cibernéticos no Brasil Ronaldo Lima Aline Bueno Agenda O mercado negro dos crimes cibernéticos no Brasil Cenário O mercado negro brasileiro Como eles trabalham Crimeware Proprietary

More information

A COMPARISON BETWEEN KOREA AND TURKEY

A COMPARISON BETWEEN KOREA AND TURKEY AF_01_Project_2012_ISG 12/03/30 11:50 Page 94 HOW EASY IS MAKING TRADE ACROSS BORDERS? A COMPARISON BETWEEN KOREA AND TURKEY SERÁ FÁCIL FAZER COMÉRCIO ATRAVÉS DAS FRONTEIRAS? UMA COMPARAÇÃO ENTRE A CORÉIA

More information

LINKING CUSTOMER SATISFACTION, QUALITY, AND STRATEGIC PLANNING

LINKING CUSTOMER SATISFACTION, QUALITY, AND STRATEGIC PLANNING LINKING CUSTOMER SATISFACTION, QUALITY, AND STRATEGIC PLANNING Dayr Reis Professor and Chair of the Department of Management of the University of Wisconsin La Crosse. E-mail: reis@mail.uwlax.edu Leticia

More information

Quality of life, life satisfaction and happiness in shift- and non-shiftworkers

Quality of life, life satisfaction and happiness in shift- and non-shiftworkers Rev Saúde Pública 2004;38(Supl):3-10 3 Original Articles Quality of life, life satisfaction and happiness in shift- and non-shiftworkers Kaliterna Lipovcan LJ a, Prizmic Larsen Z b and Zganec N c a Institute

More information

bab.la Phrases: Personal Best Wishes English-Portuguese

bab.la Phrases: Personal Best Wishes English-Portuguese Best Wishes : Marriage Congratulations. Wishing the both of you all the happiness in the world. Desejando a vocês toda felicidade do mundo. a Congratulations and warm wishes to both of you on your wedding

More information

Profissionais que pretendam desempenhar funções de Administrador de software como serviço (SaaS) ou de aplicações cloud.

Profissionais que pretendam desempenhar funções de Administrador de software como serviço (SaaS) ou de aplicações cloud. MCSA Office 365 [Ativar Portugal] Microsoft - Percursos Com certificação Nível: Avançado Duração: 41h Sobre o curso A GALILEU integrou na sua oferta formativa o Percurso de Formação e Certificação MCSA

More information

A tecnologia transforma a vida das pessoas e das empresas e o Big data revoluciona o marketing

A tecnologia transforma a vida das pessoas e das empresas e o Big data revoluciona o marketing A tecnologia transforma a vida das pessoas e das empresas e o Big data revoluciona o marketing Cezar Taurion Executivo de Novas Tecnologias Chief Evangelist ctaurion@br.ibm.com TUDO EM TEMPO REAL TECNOLOGIA

More information

NADABAS. Report from a short term mission to the National Statistical Institute of Mozambique, Maputo Mozambique. 16-27 April 2012

NADABAS. Report from a short term mission to the National Statistical Institute of Mozambique, Maputo Mozambique. 16-27 April 2012 MZ:2012:04r NADABAS Report from a short term mission to the National Statistical Institute of Mozambique, Maputo Mozambique 16-27 April 2012 within the frame work of the AGREEMENT ON CONSULTING ON INSTITUTIONAL

More information

MURIQUI (Brachyteles arachnoides) Population and Habitat Viability Assessment Belo Horizonte, Brazil 23-26 May 1998

MURIQUI (Brachyteles arachnoides) Population and Habitat Viability Assessment Belo Horizonte, Brazil 23-26 May 1998 MURIQUI (Brachyteles arachnoides) Population and Habitat Viability Assessment Belo Horizonte, Brazil 23-26 May 1998 Executive Summary and Recommendations The muriqui is one of the world s greatest country-specific

More information

Cursos Vocacionais Análises internacionais

Cursos Vocacionais Análises internacionais 2015 Cursos Vocacionais Análises internacionais Anos letivos 2012/13, 2013/14 e 2014/15 Ministério da Educação e Ciência ANÁLISES INTERNACIONAIS Vários estudos internacionais têm feito referências positivas

More information

A the place where you can borrow books, not the place where you can buy them that place is a!

A the place where you can borrow books, not the place where you can buy them that place is a! Confusing Words! Let s try to sort them out... 1. Read the following examples in English and in Portuguese. Notice that the 2 different words have different meanings Like a travelling library. Como uma

More information

Information technology and its impact over sales function: a case study

Information technology and its impact over sales function: a case study Revista da FAE Information technology and its impact over sales function: a case study Tecnologia de informação e seu impacto sobre a função vendas: um estudo de caso Marcelo Ferreira Martinez* Fauze Najib

More information

UNIVERSIDADE DE LISBOA Faculdade de Ciências Departamento de Informática

UNIVERSIDADE DE LISBOA Faculdade de Ciências Departamento de Informática UNIVERSIDADE DE LISBOA Faculdade de Ciências Departamento de Informática Mobile Web Accessibility Evaluation António Rogério Crisóstomo de Campos Bandeira MESTRADO EM INFORMÁTICA 2010 UNIVERSIDADE DE

More information

relatório & contas 2010 annual report & accounts

relatório & contas 2010 annual report & accounts relatório & contas 2010 annual report & accounts VISÃO VISION Visão é ter um sonho e fazê-lo acontecer. É pensar fazendo. É ligar o que queremos e podemos com o que querem as pessoas, com o que pede

More information

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO / LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM LÍNGUA INGLESA MÁRCIA MAURER SCARPARI

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO / LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM LÍNGUA INGLESA MÁRCIA MAURER SCARPARI UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO / LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM LÍNGUA INGLESA MÁRCIA MAURER SCARPARI EVALUATING THE EFFECTIVENESS OF LUDIC ACTIVITIES IN L2 CLASSROOMS

More information

(PT) Identidade visual Euro Football 7-a-Side - Maia 2014 Versão - Logótipo Principal

(PT) Identidade visual Euro Football 7-a-Side - Maia 2014 Versão - Logótipo Principal Versão - Logótipo Principal Version - Main Logo Conceito de logomarca: A figura humana, com esta forma, pretende representar a figura dos jogadores como indistintos dos outros jogadores de futebol e a

More information

Coverage of the Brazilian population 18 years and older by private health plans: an analysis of data from the World Health Survey

Coverage of the Brazilian population 18 years and older by private health plans: an analysis of data from the World Health Survey ARTIGO ARTICLE S119 Coverage of the Brazilian population 18 years and older by private health plans: an analysis of data from the World Health Survey Cobertura da população brasileira com 18 anos ou mais

More information

Prova Escrita de Inglês

Prova Escrita de Inglês EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de Inglês 11.º Ano de Escolaridade Continuação bienal Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 550/2.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120

More information

Revista Diálogo Educacional ISSN: 1518-3483 dialogo.educacional@pucpr.br Pontifícia Universidade Católica do Paraná Brasil

Revista Diálogo Educacional ISSN: 1518-3483 dialogo.educacional@pucpr.br Pontifícia Universidade Católica do Paraná Brasil Revista Diálogo Educacional ISSN: 1518-3483 dialogo.educacional@pucpr.br Pontifícia Universidade Católica do Paraná Brasil Buzzi Rausch, Rita Teacher-researcher: conceptions and practices of master teachers

More information

How to change or transform a coordinate system into a map layer? The answer is in ArcMap.

How to change or transform a coordinate system into a map layer? The answer is in ArcMap. How to change or transform a coordinate system into a map layer? The answer is in ArcMap. Anabela Grifo (1,2) *, Albertina Ferreira (1,3) (1) Departamento de Ciências Agrárias e Ambiente Escola Superior

More information

Modelling & Simulation

Modelling & Simulation Modelling & Simulation Applicability for a Cost Effective Operational Capability Agenda 1. Context in PT Armed Forces 2. Practical Examples of Simulation as a mean to increase Operational Readiness a.

More information

Status Report. LTA Consultant in Institutional Capacitation

Status Report. LTA Consultant in Institutional Capacitation MZ:2013:02 Status Report from LTA Consultant in Institutional Capacitation regarding the period 1 January -- 31 December 2012 within the framework of the AGREEMENT ON CONSULTING ON INSTITUTIONAL CAPACITY

More information

Entrevista Kurt Meredith

Entrevista Kurt Meredith Entrevista Kurt Meredith As relações entre Educação, Democracia e Cidadania são muito caras a quem pesquisa as instituições, os processos e as práticas educativas. Cada vez mais se fala em inserção social

More information

Usabilidade. Interfaces Pessoa Máquina 2010/11. 2009-11 Salvador Abreu baseado em material Alan Dix. Saturday, May 28, 2011

Usabilidade. Interfaces Pessoa Máquina 2010/11. 2009-11 Salvador Abreu baseado em material Alan Dix. Saturday, May 28, 2011 Usabilidade Interfaces Pessoa Máquina 2010/11 2009-11 baseado em material Alan Dix 1 System acceptability Utility Social acceptability Usefulness Easy to learn Usability Efficient to use System acceptability

More information

Revista Universo Contábil, ISSN 1809-3337 FURB, v. 5, n.3, p. 156-164, jul./set., 2009

Revista Universo Contábil, ISSN 1809-3337 FURB, v. 5, n.3, p. 156-164, jul./set., 2009 Revista Universo Contábil, ISSN 1809-3337 FURB, v. 5, n.3, p. 156-164, jul./set., 2009 doi:10.4270/ruc.2009327 Disponível em www.furb.br/universocontabil THE ADOPTION OF THE INTERNATIONAL FINANCIAL REPORTING

More information

INGLÊS. Texto para as questões de

INGLÊS. Texto para as questões de INGLÊS Texto para as questões de 27 a 29 IT S TAKEN 30 YEARS FOR HAROLD Cohen to teach his student how to paint, but he s not struggling with a slow learner. Cohen s student, AARON, is a computer program.

More information

The value of design in decision-making processes: a three tiers model O valor do design no processo de decisão: um modelo de três camadas

The value of design in decision-making processes: a three tiers model O valor do design no processo de decisão: um modelo de três camadas The value of design in decision-making processes: a three tiers model O valor do design no processo de decisão: um modelo de três camadas Xènia Viladás PhD student; Universidad Politécnica de Valencia

More information

WHAT IS THE FUTURE OF FINANCE?

WHAT IS THE FUTURE OF FINANCE? WHAT IS THE FUTURE OF FINANCE? Ashvin Vibhakar, PhD, CFA Managing Director/Senior Advisor Executive Sponsor, Future of Finance Project São Paulo, Brazil 27 May 2013 CFA INSTITUTE FUTURE OF FINANCE PROJECT

More information

O Livro Completo de. jv16 PowerTools 2008 1 / 86

O Livro Completo de. jv16 PowerTools 2008 1 / 86 O Livro Completo de jv16 PowerTools 2008 1 / 86 Este livro digital pode ser distribuído livremente e sem a permissão do autor, seja em formato digital ou impresso. Embora, se este livro for vendido impresso,

More information

Gerando Rotas BGP. Tutorial BGP - GTER

Gerando Rotas BGP. Tutorial BGP - GTER Gerando Rotas BGP 1 BGP Gerando rotas internas BGP 192.168.1.0/24 Injetar agregado 192.168.0.0/21 192.168.2.0/24 10.0.0.4 mexico 10.0.0.2 OSPF AS 65000 10.0.0.5 chile PONTO DE OBSERVAÇÃO 192.168.8.0/24

More information

External User Manual. Online Registration of Users of the Electronic System for the Management of Medicinal Products of Human Use of INFARMED, I.P.

External User Manual. Online Registration of Users of the Electronic System for the Management of Medicinal Products of Human Use of INFARMED, I.P. Online Registration of Users of the Electronic System for the Management of Medicinal Products of Human Use of INFARMED, I.P. Página 1 de 11 Index 1 Introduction... 3 2 Using the Online Registration Form...

More information

ANÁLISE DOS WEBSITES DAS EMPRESAS DE PUBLICIDADE EXTERIOR EM PORTUGAL WEB ANALYSE OF OUTDOOR ADVERTISING COMPANIES IN PORTUGAL

ANÁLISE DOS WEBSITES DAS EMPRESAS DE PUBLICIDADE EXTERIOR EM PORTUGAL WEB ANALYSE OF OUTDOOR ADVERTISING COMPANIES IN PORTUGAL AF_02_Project_2012_INP 12/03/30 11:58 Page 216 A INTERNET E A COMUNICAÇÃO NO MERCADO OUTDOOR ANÁLISE DOS WEBSITES DAS EMPRESAS DE PUBLICIDADE EXTERIOR EM PORTUGAL THE INTERNET AND THE COMMUNICATION OF

More information

The way to make a $1B company K.S. Pua Oct, 2012

The way to make a $1B company K.S. Pua Oct, 2012 The way to make a $1B company K.S. Pua Oct, 2012 潘 健 成 (K.S. Pua) Nationality: Malaysia (Sekinchan) 育 群 小 學 (1981 ~ 1986) Pin Hwa High School ( 巴 生 濱 華 中 學 ) (1987 ~ 1992) Bachelor of NCTU( 交 通 大 學 ),

More information

Esta apresentação está disponível gratuitamente para download em nosso website: http://www.edanzediting.com/ brazil_march_2013

Esta apresentação está disponível gratuitamente para download em nosso website: http://www.edanzediting.com/ brazil_march_2013 Esta apresentação está disponível gratuitamente para download em nosso website: http://www.edanzediting.com/ brazil_march_2013 Insights into Publication Success FAPESP, Espaço, APAS Daniel McGowan, PhD

More information

GUIDELINES AND FORMAT SPECIFICATIONS FOR PROPOSALS, THESES, AND DISSERTATIONS

GUIDELINES AND FORMAT SPECIFICATIONS FOR PROPOSALS, THESES, AND DISSERTATIONS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO PÓS-GRADUAÇÃO EM INGLÊS: ESTUDOS LINGUÍSTICOS E LITERÁRIOS GUIDELINES AND FORMAT SPECIFICATIONS FOR PROPOSALS, THESES, AND DISSERTATIONS

More information

HEALTH AND EDUCATION: A BRIEF ANALYSIS OPINIÃO / OPINION. Virginia T. Schall 1

HEALTH AND EDUCATION: A BRIEF ANALYSIS OPINIÃO / OPINION. Virginia T. Schall 1 OPINIÃO / OPINION Environmental and Health Education for School-Age Children: A Transdisciplinary Approach 1 Educação Ambiental e em Saúde para Escolares de Primeiro Grau: Uma Abordagem Transdiciplinar

More information

Seguridad y calidad en al atendimiento en UTI-Pediátrica

Seguridad y calidad en al atendimiento en UTI-Pediátrica Seguridad y calidad en al atendimiento en UTI-Pediátrica - Jornada en commemoración de los 25 años de Terapia Intensiva Pediátrica del Hospital de Clínicas de la Facultad de Medicina de Asunción Paraguay.

More information

Megaron_Case Method. Contents

Megaron_Case Method. Contents Megaron_Case Method Contents Pages 01.) First of all 2 02.) What is it? 2 03.) How is it structured? 2 04.) How good is it? 3 05.) How bad is it? 3 06.) Who are the case defenders? 4 1 01.) First of all

More information

University of California, San Diego : Linguistics Language Program : Fall 2013

University of California, San Diego : Linguistics Language Program : Fall 2013 1. Welcome! UCSD LINGUISTICS LANGUAGE PROGRAM Welcome to the Linguistics Language Program, a unit of the Department of Linguistics at UCSD. We offer basic instruction in American Sign Language, Arabic,

More information

Genetic diversity analysis of peppers: a comparison of discarding variable methods

Genetic diversity analysis of peppers: a comparison of discarding variable methods 19 Genetic diversity analysis of peppers: a comparison of discarding variable methods Elizanilda R. do Rego* 1 ; Mailson M. Do Rêgo 1 ; Cosme D. Cruz 2 ; Paulo R. Cecon 3 ; Dany S.S.L. Amaral 4 and Fernando

More information

UNITED STATES CONSULATE GENERAL RIO DE JANEIRO, BRAZIL

UNITED STATES CONSULATE GENERAL RIO DE JANEIRO, BRAZIL UNITED STATES CONSULATE GENERAL RIO DE JANEIRO, BRAZIL Management Notice No. 14-040 May 23, 2014 TO: FROM: SUBJECT: ALL POST PERSONNEL MGMT OFFICER, PATTI HOFFMAN POSITION VACANCY WAREHOUSEMAN (CARREG

More information

UNITED STATES CONSULATE GENERAL RIO DE JANEIRO, BRAZIL. Nota: Tradução livre em vermelho. All Interested Parties/All Sources Todos os interessados

UNITED STATES CONSULATE GENERAL RIO DE JANEIRO, BRAZIL. Nota: Tradução livre em vermelho. All Interested Parties/All Sources Todos os interessados UNITED STATES CONSULATE GENERAL RIO DE JANEIRO, BRAZIL Management Notice No. 010-049 November 23, 2010 TO: FROM: SUBJECT: ALL POST PERSONNEL PANFILO MARQUEZ, MGT POSIT ION VACANCY JANITOR Nota: Tradução

More information

Coaching leadership: leaders and followers perception assessment questionnaires in nursing

Coaching leadership: leaders and followers perception assessment questionnaires in nursing ORIGINAL ARTICLE Coaching leadership: leaders and followers perception assessment questionnaires in nursing Liderança coaching: questionários de avaliação de percepções de líderes e liderados na enfermagem

More information

Educational mediation applied with students about environmental health

Educational mediation applied with students about environmental health Acta Scientiarum http://www.uem.br/acta ISSN printed: 1679-9291 ISSN on-line: 1807-8648 Doi: 10.4025/actascihealthsci.v35i1.10042 Educational mediation applied with students about environmental health

More information

Energy Data Management _Smart Metering all the way

Energy Data Management _Smart Metering all the way Energy Data Management _Smart Metering all the way Workshop Smart Metering, Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro 24 de Março de 2015 Siemens Energy innovations for over 140 years 1866 Dynamo 1930

More information

Inglês/15 6º ano Turma: 3º trimestre Nome: Data: / / EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO INGLÊS 3º TRIMESTRE

Inglês/15 6º ano Turma: 3º trimestre Nome: Data: / / EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO INGLÊS 3º TRIMESTRE Inglês/15 6º ano Turma: 3º trimestre Nome: Data: / / 6ºing303r Caro Aluno, No 3º TRIMESTRE estudamos o SIMPLE PRESENT e com ele podemos expressar todas as ações que fazem parte dos nossos hábitos e rotina.

More information

How changes in household s consumption and income affects the Brazilian economy: an input-output approach for 2003 and 2009 1

How changes in household s consumption and income affects the Brazilian economy: an input-output approach for 2003 and 2009 1 How changes in household s consumption and income affects the Brazilian economy: an input-output approach for 2003 and 2009 1 13. Desigualdade, pobreza e políticas sociais Marcus Vinícius Amaral e Silva

More information

Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INGLÊS Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este caderno contém seis questões, abrangendo um total de sete páginas, numeradas de 3 a 9. Antes

More information